Se os clubes brasileiros fossem escolas de samba


Fluminense – Unidos da Tijuca
Já nasceu grande, destacando-se pelo pioneirismo no cenário carioca. Teve períodos turbulentos e andou dando seus vexames com rebaixamentos, mas reestruturou-se e viu a consagração com o título em 2010, acabando com um longo jejum.

Corinthians – Grande Rio
Representa uma zona de “povão”, mas é bem endinheirada. Costuma apostar em nomes midiáticos e muitas vezes desperta com isso a antipatia de rivais. É fácil tirar os torcedores do sério: basta lembrar que ainda falta “aquele” título…

São Paulo – Beija-Flor
Houve um tempo em que era vista com certa simpatia pelos adversários, mas isso acabou quando passou a conquistar um título atrás do outro. Bem organizada, adotou certa dose de arrogância no discurso.

Internacional – Vila Isabel
Celeiro de bambas, passou período sendo grande só no rótulo. Hoje em dia é novamente cotada pra todos os títulos, especialmente depois da glória alcançada em 2006, contra a maioria dos prognósticos.

Palmeiras – Salgueiro
Encerrou de maneira memorável uma incômoda seca de títulos em 1993. De lá pra cá, descobriu que ter o Edmundo sem sempre é garantia de conquistas.

Flamengo – Mangueira
Impossível ficar indiferente: é amada ou odiada. Nas suas maiores conquistas, contava com craques formados em casa. Politicamente, costuma ser uma bagunça.

Botafogo – Mocidade
Viveu épocas gloriosas, mas hoje é coadjuvante. Beliscar uma vaga no desfile das está de bom tamanho. Os torcedores eram mais felizes quando o dinheiro dos bicheiros ajudava da montagem do elenco

Grêmio – Imperatriz
O estilo pode não agradar aos puristas, mas ela não se importa. É copeira e tem o respeito dos adversários, mesmo quando a fase não é das melhores.

Santos – Portela
Algumas das maiores referências do meio saíram de sua base. É uma das favoritas dos saudosistas, daqueles que gostam de dizer que “no meu tempo era melhor”. Até hoje reclama de um título roubado em 1995.

Bahia – União da Ilha
Muitos lamentam pelo tempo que ela andou longe da primeira divisão na última década. A torcida festiva, unida pelas cores azul, vermelho e branca, é sempre garantia de espetáculo. Mas só assiste á briga dos grandes.

Atlético/GO – Porto da Pedra
Inesperadamente tornou-se a única representante de sua região na divisão de elite. Lutar contra o rebaixamento é sua rotina, e cada permanência deve ser comemorada com um título.

América/MG – São Clemente
Volta e meia aparece no Grupo Especial. Ninguém sabe direito com subiu, mas é certo que vai cair.

Atlético/MG – Império Serrano
Tem uma história bonita, conta com uma torcida grande e apaixonada, mas raramente brigou nas cabeças nos últimos tempos. E o último título importante já faz um tempinho…

Atlético/PR – Viradouro
De um centro periférico, já foi campeã e conseguiu fazer barulho em diversas ocasiões. Considerada-se grande, mas aos olhos dos grandes tradicionais será sempre menos importante.


Vi na: revista ESPN nº 17 – Março de 2011.

Siga-nos no twitter: @futebolffv , no Facebook e/ou Assine nosso feed (RSS)

2 comentários:

Anônimo | 14 de abril de 2011 05:03  

Faltou o Vasco aí !!!

Anônimo | 30 de dezembro de 2015 14:07  

mas nunca o Corinthians vai ser comparado com a grande rio, já que a escola nao tem titulo

Postar um comentário

Poste sua opnião. Assim estaremos sempre melhorando o blog.

Blog Widget by LinkWithin